A empresa e o fundador

A empresa Almeida Rocha está situada em Belo Horizonte (MG). Possui hoje cerca de dez colaboradores, das áreas de Contabilidade, Tributária e Fiscal, Trabalhista e Previdenciária, Consultoria e Legalização Empresarial. Atende em torno de 80 clientes. Foi fundada e é dirigida por José Carlos Almeida Rocha, uma pessoa batalhadora e admirada, pela dedicação, senso ético, tino empreendedor e de liderança e com um talento nato para lidar com pessoas e raciocínio lógico.

José Carlos fez curso técnico em Contabilidade e também a faculdade de Ciências Contábeis, em Belo Horizonte (MG). Para estar atualizado, sempre faz cursos nas áreas de Liderança, Contabilidade e Tributação. É muito carismático, dedicado e bem disposto. Tem uma filha, nascida em 2002, de quem é muito companheiro, amigo e incentivador.

Segundo José Carlos, a Contabilidade é maravilhosa, as pessoas é que misturam muito. Confundem com trabalho de despachante, quebra galho, e às vezes procuram a empresa de Contabilidade para não pagarem impostos. A Contabilidade é uma Ciência que tem como objetivo o estudo das variações patrimoniais das organizações, sendo um mecanismo de controle através das contas patrimoniais “bens, direitos e obrigações”, e das contas de resultados “receitas, custos e despesas”.

Ele considera que o principal valor da liderança é o respeito para que as pessoas sejam felizes. Está sempre atento à evolução e inovação, dele, da sua empresa, dos seus colaboradores, amigos e fornecedores. Acredita que o dia de amanhã sempre será melhor.


A história de José Carlos

José Carlos de Almeida Rocha nasceu na cidade Águas Vermelhas, próxima a Pedra Azul, na região do Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais. De uma família humilde, viveu em uma casinha simples, de adobo, com três irmãs. Perdeu o pai com 9 anos e sua família começou a passar muita dificuldade.

Ainda menino, começou a procurar soluções para poder ajudar em casa, para terem o que comer. Nem todo dia tinha carne no almoço e ele lembra de tomar café com farinha para matar a fome. Engraxou sapatos, vendeu laranja, aprendeu a dar vacinas em galinhas, trabalhou em carvoaria. Sempre dedicado e encantado com os estudos, em nenhum momento deixou de frequentar a escola. E com seus trabalhos, ganhava, além de boas amizades, material da escola, roupas e dinheiro. Ganhou até a roupa para a formatura de 8ª série.

Nesta época, uma família de amigos, pai, mãe e filha, foram morar de favor em sua casa, e ajudavam a sua família. A amizade ficou muito forte e quando a família se mudou, convidou o José Carlos para mudar para a cidade Taiobeiras (MG), para frequentar uma escola de Ensino Médio melhor. José Carlos foi, morou em uma boa casa, era tratado com muito carinho, tinha todas as refeições e um quarto sempre limpo e arrumado. Estudou e tratou logo de arranjar um trabalho para mandar dinheiro para a mãe e as irmãs. Ele montava baterias de carro.

Após um ano, seu padrinho, que morava em Betim (MG), o convidou para mudar para uma cidade maior, para poder se desenvolver mais e ter mais sucesso. Foi uma decisão crucial, mas José Carlos, pensando em ajudar mais sua família partiu para mais um desafio. Foi para Betim de carona em caminhão de carvão. Morou três meses com o padrinho e depois foi morar no alojamento da empresa de ônibus Viação Santa Edwiges, em que trabalhava como cobrador. Ficou neste trabalho durante mais de dois anos, enquanto também completava o Ensino Médio à noite.

Sempre cativante, com sorriso fácil e muito respeito ao próximo, conquistava as pessoas com quem lidava, que neste período eram os passageiros. Um passageiro, advogado, o convidou para ser office boy da empresa onde trabalhava, uma siderurgia. Ele aceitou.

De office boy, passou a auxiliar administrativo. De auxiliar administrativo, a auxiliar contábil. A curiosidade e vontade de ajudar e fazer certo colaboraram para buscar conhecimentos e aprender muitas coisas sozinho. Sempre perguntando, pesquisando e evoluindo, chegou a até mesmo substituir professores e licença maternidade da matéria de Matemática Financeira em cursos técnicos. Foram 3 anos e 8 meses nesta empresa, da qual, como em todos os lugares por quais passou, é muito grato.

Durante uma grande crise na siderurgia, José Carlos tinha 25 anos e foi convidado para um novo emprego, num escritório de Contabilidade e Auditoria. Nesta época, fez o curso técnico em Contabilidade, e foi se encantando cada vez mais com a profissão. Virou noites trabalhando, fez muitos cursos, comprava livros e coleções sobre o assunto.

Após quatro anos, em 1993, começou a atender amigos como contador, saiu do trabalho e com muita coragem e determinação abriu sua empresa, a Almeida Rocha. Ele tinha dois clientes.

A empresa foi crescendo naturalmente, chegou a ter em torno de 20 funcionários e atender em torno de 120 clientes.


Acidente e lição de vida

Em 2010, José Carlos sofreu um grave acidente de carro. Estava sozinho, ficou 15 dias inconsciente. Perdeu a audição de um ouvido, teve ferimentos graves na clavícula do lado esquerdo, passou por muitas cirurgias. Recebeu muito apoio da família, de amigos, de clientes e parceiros profissionais. Ficou surpreso em perceber como era querido e como não estava se dedicando o suficiente às pessoas.

Por um ano, diminuiu o ritmo de trabalho, fez fisioterapia para recuperação dos movimentos. Continuou apaixonado pelo trabalho, mas adotou mais disciplina e passou a dar mais atenção à vida e às pessoas ao seu redor.

Hoje, considera que as pessoas são o maior patrimônio da vida e que os relacionamentos têm valores imensuráveis. Incentiva sua equipe à especializar, está sempre disposto a conversar e conhecer mais as pessoas que o cercam. Procura dar apoio aos clientes da melhor forma.


José Carlos Almeida Rocha - Fundador da Almeira Rocha Contadores Associados